União e informação foram destaque no 41o Simpósio da Fenacef

Cerca de 70 associados da AEA-PR participaram do 41o Simpósio da Fenacef, realizado neste fim de fim de novembro, na cidade de Touros, no Rio Grande do Norte. O evento contou com a presença de mais de 1100 pessoas, entre participantes e palestrantes, de  todos os Estados do Brasil, que discutiram temas variados relacionados à Funcef, Caixa e Saúde Caixa. O vice-presidente da Caixa, Roney de Oliveira Granemann, esteve entre os presentes, assim como toda diretoria Executiva da Funcef.  

O diretor Administrativo da AEA-PR, Francisco Carlos Pires Machado, foi porta bandeira da delegação paranaense.

O painel com representantes da Funcef apontou que, lentamente e com bastante dificuldade, os diretores estão conseguindo encontrar o caminho da recuperação financeira do Fundo. “Embora sabendo que as consequências críticas ainda vão durar por muito tempo, os aposentados saem com a esperança de dias melhores. Durante os debates aparecem ideias novas e gente nova disposta a lutar com muita garra para o êxito”, explica o presidente da AEA-PR, Valfrido Oliveira.

Livre do caráter político-ideológico, o tempo foi aproveitado para discussões sérias e tomadas de decisões que impactam nos resultados financeiros e na questão da defesa jurídica para a manutenção dos direitos adquiridos ao longo do tempo. “O mais importante é que as pessoas estão acordando e compreendendo que discursos vazios e ideológicos não têm mais vez no meio associativo. O mais importante é a saúde física e  financeira da classe economiária”, destaca o presidente da AEA-PR. 

União e conscientização marcaram evento

A organização também promoveu a palestra “Qualidade de vida no envelhecimento”  com o médico Geriatra Marcos Cabrera, do estado do Paraná. O médico abordou, de forma leve, assuntos sérios e de grande relevância para as pessoas da terceira idade. “Foi um momento de descontração e aprendizado. Foi emocionante ver os sorrisos nos rostos de pessoas que muito fizeram pela Caixa, durante o seu tempo de atividade laboral.  Foi possível compreender que os bancários ativos e aposentados da Caixa são pessoas fortes e resilientes”, conta Valfrido. 

A diretoria de AEA-PR destaca que, pesar do contexto no qual os economiários aposentados estão inseridos, o encontro ficou longe de ser apenas um mais evento formal. “Foi uma grande incitação à unidade, demonstrando que unidos somos fortes e unidos podemos muito mais”, afirma Valfrido.