Dia do aposentado: Planejamento e entusiasmo para o aproveitar o melhor desta fase

No Dia Nacional do Aposentado, veja algumas dicas de quem passou por essa transição de forma tranquila e leva uma vida alegre e muito produtiva.

No dia 24 de janeiro é comemorado o Dia Nacional do Aposentado e também o Dia da Previdência Social. Em muitos lugares são realizados eventos e confraternizações com o objetivo de reunir aposentados para um momento de descontração e fortalecimento dos laços de amizade e parceria. Essa é também uma das missões da Associação dos Economiários Aposentados do Paraná (AEA/PR) e um grande motivador para essa fase da vida: manter as amizades e o convívio social.

Para chegar na aposentadoria com o otimismo que a fase merece e visualizar como serão os dias fora do trabalho, planejamento é fundamental. “Se você não tiver um plano, alguém vai fazer um plano para você. Eu não permiti me ocupar com as coisas dos outros, eu já tinha minhas atividades para fazer”, brinca Bernadete Gonçalves Alves, de 58 anos, que se aposentou há quase quatro anos e fez todo o planejamento, tanto financeiro quanto de atividades que queria realizar, cinco anos antes de se aposentar.

Segundo Bernadete, o planejamento permite que você se desligue da empresa e do trabalho e vá se desapegando dessa rotina, para então poder focar em outras atividades. “Se esse rompimento é feito sem planejamento a pessoa fica preocupada, mas depois ela percebe quanta coisa nova pode aprender e se dedicar”, indica a aposentada que estuda conceitos de coaching e dança circular, além de trabalhar com artesanato.

Bernadete orientando participantes das Oficinas Solidárias

“Sempre quis ter um espaço de artesanato e fazer trabalhos voluntários. Com a chegada da aposentadoria consegui me dedicar mais para realizar esse sonho” O Espaço Amor em Pontos fica em Bauru, conta com outras aposentadas voluntárias para desenvolver trabalhos de tricô e crochê e fazem parcerias com instituições como a APAE. “Isso preenche nosso cotidiano e é uma corrente do bem que se espalha. Manter nosso vínculo de amizade, trocas, conversas e confraternização também é fundamental”. Bernadete também colaborou com as Oficinas Solidárias, que iniciaram no segundo semestre de 2017, na sede da AEA-PR.

O economiário aposentado Benedito Silvano Bonacordi, de 78 anos, reforça a importância de se preparar para o momento da aposentadoria, pois é uma fase de muitas mudanças. “Um dos primeiros pontos que eu me preocupei foi em não ter nenhuma dívida de empréstimo, nenhuma preocupação muito grande. Depois eu comecei a pensar quais atividades eu gostaria de continuar realizando. Eu por exemplo sempre gostei de andar de moto, então me planejei para viajar mais”, aponta.

Benedito se dedicou a trabalhar pelos aposentados e à paixão de andar de moto

 

“Depois desse momento de férias é preciso fazer alguma coisa, algum tipo de trabalho, mesmo o voluntariado. Se a pessoa ficar só em casa vai surgir a depressão e até brigas em casa”, brinca Bonacordi, que também é diretor de patrimônio da AEA-PR e diretor de eventos da Fenacef . “Continuo trabalhando, faço a organização do simpósio e dos jogos dos aposentados. Além de proporcionar os momentos de lazer e confraternização, a associação também tem a função de defender os interesses e lutar pelos direitos dos aposentados”, completa.

Para Maria Izabel do Nascimento Baldi, de 70 anos, esposa de um dos dirigentes da Associação, Dirceu Baldi Rosa, uma boa aposentadoria vem das boas relações e de manter o corpo em movimento. “Nessa fase não podemos nos acomodar, dando várias desculpas para não fazer nada e ficar no sofá. Mas também não podemos brigar com nós mesmos, com a nossa idade, pois envelhecer faz parte da vida. O que é preciso é ter amigos, cuidar da saúde, da alimentação e fazer atividades variadas para não entrar na monotonia”, explica Maria Izabel, que além de jogar vôlei também canta em dois corais e joga baralho.

 

Maria Izabel cuida da saúde vai longe jogando vôlei

“Faço academia para fortalecer minha musculação, afinal tenho 8 parafusos na coluna e preciso ter força para jogar vôlei. Mas acho que estou muito bem para minha idade. Aceito as limitações da idade e não posso reclamar, pois tenho o privilégio de ter boa saúde e bons amigos”, conta. No ano passado, Maria Izabel,que joga vôlei desde a adolescência, foi para St. George, no estado de Utah nos Estados Unidos para participar de um torneio oficial para maiores de 60 anos. Mais um dos exemplos de que a aposentadoria pode ser uma fase de muito aprendizado e novas conquistas.

 

A AEA-PR deseja a todos um feliz Dia do Aposentado!

Atenção associado!

A sede da AEA-PR em Curitiba estará fechada nos dias 15 e 16 de novembro, em razão do feriado.