Nota de direito de resposta: Antônio Schuck

No dia 21 de março de 2018, o colega Antonio Schuck encaminhou e-mail para a AEA-PR, endereço eletrônico aeapr@aeapr.org.br, com cópia para presidenciacaixa@caixa.gov.br, presidência@funcef.com.br, Gilson Tavares, ayda.pereira@gmail.com, Herbert Otto Homolka e Luiz Henrique Muller, com solicitação de direito de resposta à publicação, neste site, no dia 20 de março, da matéria com o título “Infidelidade Partidária na Funcef”.

Dentro do prazo estabelecido na Lei nº 13.188, de 11 de novembro de 2015, que dispõe sobre o direito de resposta ou retificação do ofendido em matéria divulgada, publicada ou transmitida por veículo de comunicação social, a AEA-PR publica o texto do colega Antonio Schuck.

Embora o  Art. 2º da mesma Lei, preconize que “ao ofendido em matéria divulgada, publicada ou transmitida por veículo de comunicação social é assegurado o direito de resposta ou retificação, gratuito e proporcional ao agravo”,  a Diretoria da AEA-PR deliberou, em deferência ao colega Antonio Schuck e, em respeito aos associados, em especial aos 1.078 aposentados e pensionistas  que depositaram o seu voto, em 2016, na Chapa Controle e Resultado na qual Schuck concorria como suplente do Conselho Deliberativo, por publicar o texto na íntegra, sem revisão, preservando inclusive as grafias como no original.

Explicando: o texto da AEA-PR tem pouco mais de meia lauda, o texto do colega Schuck tem duas laudas. Ele teria direito ao mesmo espaço utilizado pela matéria da AEA-PR, porém está sendo publicado no seu tamanho original, sem nenhum corte ou censura.

Matéria publicada pela AEA-PR: http://aeapr.com.br/infidelidade-partidaria-na-funcef/

 

Direito de Resposta

Caro participante,

Em face do postado pelo Presidente da AEA PR, Sr. Jesse Krieguer, na página Oficial da Entidade, sob o titulo INFIDELIDADE PARTIDÁRIA NA FUNCEF, em 20/03/2018, citando meu nome, onde declara que “recebemos perplexos, pelas redes sociais e por relatos indignados de colegas, a informação de que o colega Antonio Schuck está apoiando uma das chapas”, tenho a comentar: sou avesso ao “ouvi dizer”, principalmente pelas redes sociais infestadas de “fake news” e de pessoas que tiram suas próprias conclusões sobre o que é postado em perfis pessoais, muito embora dê a elas o benéficio de questionarem mas  jamais atacarem com palavras ofensivas quem quer que seja.

Não sou formado em Harvard e nem tenho o dom da comunicação. Fui forjado na fornalha da CAIXA admitido por concurso público e promovido através de cursos e concursos internos, inaugurando agências e transferido pelo interesse da CAIXA.

Sou Ex- SASSE, portanto, participante fundador da FUNCEF e aposentado desde 1998.

Sou sócio remido da APCEF/PR e fui compulsoriamente associado a AEA/PR quando da minha aposentadoria, estando com minha mensalidade em dia. Não estou envolvido com qualquer CAUSA, AGREMIAÇÃO, PARTIDO, ENTIDADE ou GRUPO. Estou vinculado a você participante, que através de sufrágio livre e espontâneo me elegeu Conselheiro Deliberativo da Fundação para um mandato de 4 (quatro anos ).

Na eleição para Diretores e Conselheiros, pleito que acontecerá para o quadriênio 2018/2022 fui convidado pela Chapa Juntos Pela FUNCEF para a compor como Conselheiro Deliberativo Titular, sendo que declinei do convite e comuniquei o fato aos Diretores eleitos, em presença dos Conselheiros eleitos no gabinete do Diretor Max Pantoja, portanto, ÉTICO E FIEL. A partir daí, situações análogas a minha vontade começaram a acontecer e comecei a ser visto como alguém que estava atrapalhando a gestão dos diretores eleitos, apesar de meus esforços em sempre contornar situações de tensão criadas em torno de meu nome, inclusive de não estar “alinhado” a eles.

Ora participante, meu compromisso é com VOCÊ, então, sempre vou estar alinhado a você, aos seus interesses, a sua vontade e não a um GRUPO, CAUSA, AGREMIAÇÃO, PARTIDO ou ENTIDADE, qualquer que seja ela, mesmo porque, conforme diz o Sr. Jesse Krieguer no seu comunicado, “deu seu aval ao colega  Antonio Schuck, muito embora não tenha participado da escolha de seu nome, a qual se deu de forma totalmente desconhecida pela diretoria da Associação”, portanto esse senhor não tem o direito de me cobrar nada, muito menos questionar minha postura junto ao Conselho Deliberativo ou a assuntos que envolvam a Fundação. Vale lembrar que a AEA PR me apoiou no final da campanha quando percebeu que seríamos eleitos.

Quanto a minha POSTURA e MINHAS ATITUDES frente aos desafios impostos pelo Conselho Deliberativo, muito embora atuando como suplente participei de todos os encontros sempre chegando de Curitiba um dia antes e voltando de Brasília um dia depois, mesmo não recebendo qualquer remuneração, com a finalidade de saber na origem tudo o que fazia parte de cada PAUTA e assim, junto com os Conselheiros Titulares buscar consenso entre eleitos e indicados e dentro do possível “alinhados” aos diretores eleitos, desde que o tratado não fosse contra os interesses dos participantes ativos e aposentados, afinal, o decidido nas demais instâncias da Fundação não podem contaminar as decisões do Conselho Deliberativo, por isso surpreende o pronunciamento do Sr. Presidente da AEA PR, pela audácia e despropósito em cobrar posicionamento partidário de um Conselheiro que tem por dever legal zelar pelos interesses comuns do conjunto de participantes e assistidos .

Quanto ao Presidente da AEA PR, que historicamente tem posicionamentos “alinhados” a outras Entidades, o que o levou a pressupor que os associados da AEA PR estão concordando com apoio a uma Chapa? Eu não fui consultado nem como conselheiro e nem como associado. Como entidade associativa os participantes da AEA PR não deveriam ter sido consultados publicamente antes?  Os associados da AEA PR não têm o direito de secretamente votar em quem acharem que atendem seus interesses? O Presidente da AEA PR não está exacerbando de seu cargo ao apoiar qualquer chapa em nome da Associação sem consultar publicamente os associados? Pode o Presidente da AEA PR “exigir” de um associado, pronunciamento favorável a Chapa, qualquer que seja ela? O que o levou a apoiar uma chapa, como Presidente da Entidade?

Para reflexão colegas associados da AEA PR.

A FUNCEF não esta precisando de facções, PARTIDOS ou igrejinhas dentro dela. Está precisando de participantes ativos e aposentados, estes sim,   com interesse para cuidarem de nosso patrimônio comum. Minha mensagem é de otimismo, esperança e que você PARTICIPANTE ativo ou aposentado vote de acordo com o que ditar a sua consciência e seu coração, elegendo candidatos “alinhados” ao bem comum e que tenham propostas consistentes, com perfil robusto exigido para os cargos de DIRETOR e CONSELHEIRO, voltados para bem gerir com responsabilidade, nossos recursos e nossa Fundação.

 

Atenciosamente,

ANTONIO SCHUCK

Conselheiro Deliberativo Suplente da Funcef

 

 

Atenção associado!

A sede da AEA-PR em Curitiba estará fechada nos dias 15 e 16 de novembro, em razão do feriado.