A Funcef informou que  superou sua meta atuarial pelo terceiro ano seguido em 2019. O Novo Plano, REB e Não Saldado tiveram bons resultados, acima da meta atuarial. Já o Plano Saldado apresentou déficit aproximado de R$ 1 bilhão. 

O balanço de 2019 aponta que a rentabilidade média da carteira de investimentos alcançou 10,71%, o equivalente a 179% do CDI, índice usado como referência de retorno mínimo esperado pelo mercado. Também apontou um resultado de R$ 6,98 bilhões, que elevou para R$ 71,50 bi o volume total dos Recursos Garantidores da Fundação.

Os cinco grandes segmentos de aplicações financeiras alcançaram o objetivo estabelecido pela Política de Investimentos da Funcef, com retorno de, no mínimo, um ponto percentual acima da meta atuarial de 9,16% (INPC + 4,5 pp). 

A forte oscilação da Vale na Bolsa, provocada pelo rompimento da barragem de Brumadinho (MG), foi apontada como motivo de prejuízo ao principal ativo da Fundação. O Fundo Carteira Ativa II (Litel), veículo pelo qual a Funcef investe indiretamente na mineradora, sofreu um impacto negativo de R$ 585 milhões. Isto foi apontado como motivo para que a rentabilidade do REG/Replan Saldado ficasse em 8,73%, um pouco abaixo da meta. 

Já A modalidade Não Saldada registrou valorização de 10,97%.  Os planos mais jovens, Novo Plano CD e REB CD, com maior exposição a renda variável, obtiveram ganhos de 16,02% e 16,19%.

Para saber mais detalhes sobre rentabilidade de investimentos, clique aqui para acessar artigo da Funcef

Equacionamentos vigentes

O deficit que precisa ser eliminado para possibilitar a revisão das alíquotas, cresceu de R$ 1,2 bilhão, em dezembro de 2018, para R$ 2,37 bilhões. Segundo o Fundo, este valor está dentro da margem técnica estabelecida pela Resolução nº 30, do Conselho Nacional de Previdência Complementar (CNPC), o que evita a necessidade de um novo plano de equacionamento.

Desafios para 2020

A pandemia do novo coronavírus agrava o principal desafio enfrentado pela Funcef em 2020, que é o de alcançar metas de rentabilidade da carteira de investimentos em um cenário macroeconômico desafiador, com forte queda do retorno dos títulos públicos, abaixo da meta atuarial.

A atual crise torna a gestão de ativos ainda mais complexa diante da enorme volatilidade dos preços nos mercados financeiros. “Não está no nosso radar vender ativos sob pressão, mas monitoramos diariamente o mercado e analisamos possíveis cenários para verificar os riscos e oportunidades que podem surgir no futuro”, afirma o presidente da Funcef, Renato Villela.  

Fenacef divulga resumo de resultados relativo ao Plano Saldado

Abaixo segue resumo de dados levantados pela Fenacef:

  • Ativo Consolidado dos Planos da FUNCEF:  R$ 71.598.670.877 
  • Total de participantes Assistidos : 136.136 
  • Do total acima o valor R$ 46.304.200.625 – Plano saldado 
  • Conta com: ativos: 11.148    
  • Assistidos e Pensionistas: 44.634

*Meta atuarial: INPC + 4,50%= 9,18%  

– Rentabilidade: 8,73

Nos diversos investimentos os que mais influenciaram para o resultado deficitário do plano:

  • Renda variável: Fia Carteira Ativa II ( Vale) com resultado negativo de R$ 525.550
  • Invepar: Negativo R$ 362.821
  • Outros com rentabilidade negativa: Fip Angra; Global Equity, Multiner e outros.  

 * Considerando o déficit acumulado do plano, com a dedução do Ajuste de precificação, não temos que Equacionar, posto que estamos abaixo do limite de tolerância estabelecido.

 * Outro aspecto que devemos citar: aumento do valor contencioso judicial em  16%  –  R$ 1.1 bi.

* Vale lembrar a importância na redução dos gastos administrativos que ficaram abaixo da INPC = 4,48% total das despesas em 2019= 2,91%.